Sesc instala usina solar com plataforma suspensa em reserva ambiental

BNDES amplia desembolso para energia solar e eólica em 2017
22/11/2017
Falta de chuva torna a energia solar um bom investimento no Brasil
22/11/2017

Sesc instala usina solar com plataforma suspensa em reserva ambiental

O Recanto do Pescador, uma área de 28.650 metros quadrados, localizada em Poconé, agora abriga a usina solar do Sesc Pantanal. Planejado em plataforma suspensa ante o regime das cheias na região, o projeto de sistema de geração fotovoltaica consiste em um importante marco de sustentabilidade.

A usina abastecerá um dos principais pontos turísticos mato-grossenses, o Hotel Sesc Porto Cercado, referência em hotelaria e ecoturismo no Pantanal brasileiro. O novo empreendimento faz parte das ações em comemoração aos 20 anos de atuação do Sesc no Pantanal.

Na vanguarda do turismo sustentável, a utilização de tecnologia renovável para a geração autossuficiente de eletricidade por meio de placas fotovoltaicas foi ampliada pelo Sesc Pantanal. Com inauguração marcada para o dia 13 de novembro, as 1.240 placas que juntas tem capacidade instalada de 300 kW/h e produção mensal de 49.500 kW/h, suficiente para suprir a necessidade por energia elétrica de 50% do Hotel Sesc Porto Cercado e equivale ao consumo de 309 famílias de até 4 pessoas no decorrer de um mês.

A energia gerada será entregue diretamente na rede de distribuição pública (controlada pela concessionária de energia) e o valor referente à produção será deduzido nas contas de energia do Hotel, conforme o sistema de compensação. Hoje, a unidade Sesc Porto Cercado já conta com sistema de aquecimento solar da água para os chuveiros, que não possuem resistência elétrica e não queimam, garantindo água quente e conforto ambientalmente sustentável aos hóspedes.

“O hotel pode ser considerado uma espécie de modelo para o turismo sustentável, pois sua gestão contribui de diversas maneiras à sustentabilidade ambiental. Além de estendermos o uso da energia renovável, a unidade também faz o tratamento de água, esgoto e resíduos sólidos, assim como é feita a compostagem do lixo orgânico, que vira adubo e é utilizado na horta cultivada dentro das dependências do hotel”, destaca a Diretora do Sesc Pantanal, Christiane Caetano.

O projeto teve início em 2016 e foi elaborado a partir de um minucioso e criterioso estudo de impacto ambiental. Toda implantação da usina é licenciada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), órgão competente em atendimento a normas técnicas, e também segue a legislação da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que estabelece as condições gerais para a micro geração de energia.

O cuidado com a preservação do bioma pantaneiro resultou num Relatório Ambiental Simplificado (RAS) e deste documento foi estratificado o Plano de Controle Ambiental (PCA) da usina fotovoltaica, que inclui quatro programas ambientais visando mitigar impactos causados pelo empreendimento.